27.3.07

29.11.1984 a 27.03.2005


Há dois anos atrás nada fazia querer que aquela podia ser uma noite diferente. Nas horas finais de um domingo de Páscoa, a chuva era miudinha, o piso estava escorregadio, e o cansaço era mais que muito.
Mesmo cansados, há sempre mais uma horinha, minutos que seja para beber um cafezito,sangria, o que quer que seja. Há sempre momentos para estarmos com aqueles de quem gostamos e com quem queremos recordar a chegada da grande viagem. A viagem dos Finalistas.
Nem as poucas horas de sono,nem o corpo atormentado nos impediu de naquela hora decidirmos rumar até à Costa da Caparica. O bar da praia esperava por nós, e cansou-se de esperar, não houve chegada.
Partimos em dois carros diferentes. O carro que me conduzia tinha mais 3 companhias e havia ainda outro carro com outras 3 pessoas para além dos óbvios condutores.
Alegremente, cada um de nós seguiu nos seus carros, conversava-se sobre as novidades da nossa viagem, o "best of" de lloret del mar e já mesmo depois da famosa e conhecida Curva da Morte, deu-se uma dos momentos mais trágicos, negativamente inesquecíveis das nossas vidas e em particular da minha.
Há sempre uma hora, há sempre um dia, chega sempre o nosso momento, mas quando finalmente ela se dá, nunca queremos acreditar.Dói demais para termos forças para a suportar.
Depois do carro que me transportava ter ultrapassado os sinais na via rápida da Costa, heis que se ouve um estrondo enorme, como eu jamais me esquecerei.
"Fdx!! Foram eles que bateram" dizíamos nós, e ainda mal sabíamos o que realmente tinha acontecido. Corríamos como se uma maratona tratasse, o ar nos pulmões começava a apertar, quando vejo um acidente gravíssimo. Dois feridos graves, um ferido ligeiro e um morto.
Não queria de modo algum acreditar, era surreal demais para estar a acontecer, mas a vida é mesmo muito traiçoeira.
Um grande amigo meu, foi vitima de um acidente de viação, perdeu a vida com 20 anos, um jovem cheio de energia e sonhos, com muito para dar e tanto para receber. Num pequeno instante tudo se desvaneceu, aquela pequenina e doce máquina parou, e não havia consolo possível aos que ele cá deixou.
O tempo passa, mas ninguém te esqueceu, vives em nós como se entre nós estivesses. Tenho a alma cheia de uma saudade incessante, mas acredito que te encarregaste de cuidar de mim e do meu rumo, e também do rumo daqueles que mais gostavas.
É incrível como o tempo passa, continuo a acreditar que por mais anos que viva jamais vou conhecer alguém como tu. Vais ser sempre uma pessoa especial, estejas onde estiveres.
Amigos Para Sempre

3 comentários:

Alma Minha disse...

Não sei que te dizer ao ler estas palavras...
Sinto muito pela tua dor... pelo teu amigo!
Beijos do fundo da Minha Alma

Ana disse...

...

=\

porque são sempre os acidentes de carro que nos roubam amigos? =\

Anónimo disse...

eu lembro me disso.
coitada de ti, perder um amigo em minutos.

 

blogger templates | Make Money Online