25.9.06

Tradição Ancestral

Não surpreenderia ninguém se afirmar que hoje, mais do que nunca, estão presentes em Portugal religiões,etnias e culturas diferentes e variadas.Essa diversidade deveria ser uma porta aberta para o mundo e o seu reconhecimento um dever do Estado e da sociedade. Todavia, a fé, os costumes e as tradições, por vezes, não permitem a abertura necessária para que a integração seja feita de forma parcial, pois os atropelos à dignidade e à integridade física e mental das pessoas são, em algumas culturas, frequentes.
A prática da Mutilação Genital Feminina (Excisão) insere-se neste contexto. Em nome da religião,tradição, milhares de mulheres têm sido privadas de uma das partes mais importantes da fisionomia feminina: o clitóris. Pois que se trata de práticas que vão desde o corte parcial,simbólico ou mesmo até à destruição total do clitóris a SANGUE FRIO! Os principais motivos desta prática são a higiene, pureza (visto que eliminam o centro de prazer da mulher), e a fidelidade. A mulher perde toda a sensibilidade nesta área.
Milhares de mulheres continuam a morrer por todos os cantos do mundo em virtude desta operação que posteriormente causa infecções,sangramentos até à morte, perda de vitalidade. Já para não falar das "lâminas" que são nestes casos utilizados em mais do que uma rapariga, em que as probabilidades de contrair HIV, são obviamente muitas.
Em muitos países já foram tentadas Leis que permitissem fazê-lo em hospitais, com mais cuidados, em que as mulheres seriam submetidas à excisão com a total informação sobre o que estavam a fazer. Mas de facto, não há nenhuma lei que tenha tanta força como a tradição. O que acontece é que muitas mulheres ignoram esses cuidados em detrimento da sua fé, e daquilo que as fazem acreditar.
Em Portugal, já foi negado o apoio a uma queniana.Pediu apoio ao Serviço de Estrangeiros e Fronteiras e hoje, continua desempregada, ilegal e prestes a voltar á tortura. Em Portugal há mesmo hipóteses deste acto estar a ser praticado sobre alguma população feminina de origem africana.
E eu pergunto: Mulheres e Homens do Mundo, quantas mais mulheres vão ser submetidas a este "satanismo", a esta crueldade, a esta desumanidade? Esta mulher correu em busca de auxílio e fecharam-lhe a porta. Onde estão os direitos de igualdade das mulheres e dos humanos? Será que não há Lei, não haverá limite para este "crime", para esta desumana tradição?
Será importante enquanto mulheres do mundo, e enquanto mulheres portuguesas, reflectirmos e dentro das nossas limitações apoiar o mais que nos é possível iniciativas que defendam os nossos direitos e a nossa integridade.
No dia em que deixarem de lutar pela vossa integridade, seja ela física, ou psicológica, aí sim deixam de ser Mulheres.





12 comentários:

Miguel disse...

Eu e tu ...

E em principio quase todo o mundo pensamos da mesma maneira á excepção dos "criminosos" que vão mantendo essas praticas baseados em costumes primitivos ...!

Uma Boa semana!
Bjks da Matilde

Sapito disse...

Esta é uma realidade tão dura que fechamos os olhos para a não ver, problema é que não desaparece apenas por virarmos a cara...Falat-nos a coragem para mudar o mal que se faz por aí!

a lice disse...

Saíu agora um livro da Sofia Branco "Cicatrizes de Mulher", sobre esta temática, extremamente interessante! Aborda o tema sem preconceitos!

Beijinhos.

asdrubal tudo bem disse...

Acho uma óptima chamada de atenção e nunca é demais lembrar que este problema existe mas tenho visto alguns programas sobre instituições que estão a trabalhar em países Africanos para tentar por termo a estes costumes. Só espero que caso se passe algo semelhante a isso em Portugal as pessoas que o façam sejam punidas por isso e espero que depois não venham aqueles pseudo grupos de defensores dos direitos humanos dizer que não se devem condenar as pessoas e que isso é privar as pessoas do direito à religião etc.

marta* disse...

eu sou um bocadinho reinvindicativa qto a direitos das mulheres. Na realidade, chocam-me estes "crimes" que acabam por ser crimes permitidos pelas próprias mulheres em nome de uma cultura ou tradição. As questões mais difíceis de lidar são estas: as culturais. Porque as mulheres aceitam isso td em favor de uma cultura, de uma tradição de um povo. Ofereçamos-lhe condições dignificantes então: a possibilidade de ir a um hospital, higiene e segurança. Informemos e mudemos mentalidades assim tlvz depois de possamos chegar ainda mais longe :)

um beijinho mto grande!

ps: esta questão faz-me lembrar uma outra questao que eu debatia ha dias...sobre mães adolescentes de origem africana. Não e uma questão de falta de informação, cada vez mais´ha a certeza de uma questão cultural. Dentro da cultura engravidar cedo, e ao ser mãe ganha-se um novo estatuto, uma posição social, que funciona como motivação....

Ana disse...

Tocaste num assunto importante. A mutilação genital feminina é o ponto máximo de como as mulheres são tratadas neste mundo. E é um hábito que existe em Portugal. Milhares de famílias africanas enviam as suas filhas aos países de origem para serem submetidas a essa crueldade... Para não falar também no tráfico de mulheres, ou melhor, de crianças....

Mas enquanto o Bin Laden e as armas nucleares no Irão continuarem no topo da página de preocupações dos nossos governantes, isto não anda para a frente. Mas nós, população, também temos de fazer alguma coisa em relação a isso.

booksandnoises disse...

Infelizmente nos dias que correm isso é algo que continua a acontecer, e negá-lo a quem o faz é ofendermos os mesmos.
Sou totalmente contra esses hábitos e costumes, mas o maior culpado é provavelmente a mulher, aliás, as mulheres que continuam a deixar que isso lhes aconteça: a elas e às suas gerações. Por isso acho que ao mesmo tempo que se fornecem "condições" (e aqui jogamos um bocado com a contradição, porque uma vez que tal acto devia ser condenado, aparecem os hospitais com condições para que tal possa ser feito, enfim.. não sei se será o melhor método!) deveriam tentar-se informar e abrir os olhos áqueles que o praticam, ao Homem como ser humano. Mas isso leva tempo, e nem toda a gente está disposta a isso...

É o mesmo que um cientista chegar ao pé de um católico e dizer que a história do Adão e Eva é uma treta. E provas? As provas aqui são fundamentais! E caso isso seja mesmo verdade, leva bastante tempo até que possamos realmente conclui-lo...

Beijo, continua a abordar estes temas! *

pitanga disse...

Essas tais mutilações são aplicadas, quando ainda vivem nas suas tribos, às meninas entre os dez, doze anos quando atingem a puberdade. Só queria saber se quem as aplica também são mulheres.

beijos

PS: hoje a blogosfera enlouqueceu, houve quem perdesse arquivos e templates.

Natacha disse...

Parabens por ter abordado este tema que é tão sensivel a tanta gente!

Gostei do seu cantinho!

Pequenina disse...

Pitanga: Sinceramente, não sei dar essa informação, e prometo que vou procurar. Mas penso que são apenas Homens, o expoente máximo de autoridade nesse tipo de tribos e rituais são sempre os homens.Beijinhos.

pitanga disse...

São homens? Então, talvez eu tivesse uma idéia a dar às mulheres.

beijos indignados

Joana disse...

Fiquei a saber desta realidade gravíssima atraves de uma amiga que fez um trabalho sobre estas mulheres.
Para além de ser medonho é doloroso pensar nas marcas e nos traumas que estas mulheres carregam consigo.
Não sei como é possivel que isto ainda se passe e não haja ninguém com o poder suficiente para travar tais atrocidades.

 

blogger templates | Make Money Online