13.9.06

E porque não serem mais flexíveis?

A chuva despertou em mim uma súbita vontade de desabafar algo que tinha entalado na garganta. Começa o tempo de regressar ás universidades, falar com os colegas nos últimos dias de férias para que nos possam pôr ocorrentes de tudo o que se passou nas últimas reuniões académicas e planos para o ano que em breve vai recomeçar.
No ano passado tive alguns colegas que tinham um jeito especial para irritar toda a gente e a mim que tenho a sensibilidade nervosa á flor da pele, pôr-me todos os cabelinhos em pé! Pois que numa turma que mais parecia um infantário, desde perguntas infelizes, gente cínica, meninas com a mania que querem ser vedetas e outras mais com a mania que já sabem tudo, resolvem insistir num assunto em relação a transferências para outras instituições, exames, concursos nacionais e essas tretas todas. Era impossível isto e impossível aquilo, e tinham razão em tudo. Elas, inclusivamente, já tinham contactado secretarias,gabinetes,directores,acessorias e reitorias e tudo o que possam imaginar e terminar em "ias" (mesmo não tendo sentido algum) para terem algum poder de argumentação.
Desde cedo que eu havia recorrido aos sítios indicados para me informarem de tudo o que era ou não era possível. A melhor maneira de o fazer, cumprimento de prazos e tudo o que envolve um processo de mudança. E em conversas, esclarecia-as em relação a esse facto, ao passo que elas desmentiam, e afirmavam que tinham o dom da razão. Não queriam ouvir e ainda tinham o descaramento de ir 'cochichar'
com as outras colegas (que não eram menos estúpidas porque ainda lhes davam ouvidos ) mas enfim. O tempo foi passando e o ano também, eu mantive-me no meu lugar, a recorrer aos meus processos, a fazer tudo como me tinham indicado e passo a passo cheguei ao final do processo do qual ainda aguardo resposta.
Pois qual não é o meu espanto, quando hoje uma das espertinhas fala comigo, mansinha como um cão amigo do seu dono, e até me pede uma certa desculpa pelas chatices que provocou e pela sua pouca flexibilidade, inteligência,conhecimento para discutir assuntos que não domina, e que posteriormente percebi que nem sequer informação alguma tinha.

Tudo isto teria sido muito mais fácil, e não teríamos tido os aborrecimentos que tivemos e que se desenvolveram em mini-grupos (mesmo à meninas da escola primária ), porque depois um comenta aqui e outro ali e mais parecia uma aldeia em que tudo é um choque. Se a menina(s) tivesse(m) sido mais flexíveis, soubessem ouvir os outros, tentassem perceber e informar-se em vez de se armarem em vedetas da TV podíamos ter tido um ano santo e enriquecedor. Mas nãaaaao.. isso era pedir demais.
Esperemos que este ano, a flexibilidade em ouvir os outros e aprender um bocadinho com eles em vez de raciocinarmos só e apenas com o nosso umbigo seja maior e com um bocadinho mais de vontade. Digo-vos eu, que nem todos sabemos tudo e se nos achamos muito espertinhos, acabamos por parecer egocêntricos,convencidos e arrogantes. Tenham paciência com os outros!

10 comentários:

a lice disse...

Espero que este ano tudo corra melhor!:)

Marco Ferreira disse...

É um mal que não afecta apenas uma turma, um grupo de amigos, mas portugal inteiro. Grande maioria das pessoas acha que sabe tudo e eles é que têm o dom do conhecimento.
Quando assim é eu limito-me ao silêncio e a ouvir as barbaridades que são ditas.

marinheiroaguadoce a navegar

asdrubal tudo bem disse...

não é a melhor maneira para começar o ano. mas serve sempre de preparação para quando tiveres que começar a trabalhar. aí vais ter que enfrentar bem pior do que isso.

Joana disse...

Welcome to the real world.
:)
Espero que contigo corra tudo bem e que o teu processo tenha o resultado que esperas!
:)

Ana disse...

Espero que isso mude se fores para a ESCS... Eu penso que não seja muito diferente... também temos popstars... Mas sempre tive sorte com a minha turma, e isso é que interessa! Também vais ter com a tua!=)

*********

Miudaaa disse...

Como o mundo seria melhor, se no MINIMO, os teus colegas, lessem com atenção este testemunho...
Sabes, eu acho que todos temos sensibilidade para podermos reflectir e saber distinguir o bem do mal... mas vivemos demasiadamente extagnados e adormecidos numa vida que exige de cada um de nós ATENÇÃO.

Gostei de te ler, acredita.

Um beijo da miudaaa

Miguel disse...

Não ligues a essa gente "pequenina"!

O melhor é fazer que elas não existem! Quando estudava, também já havia essas pessoas insonsas!

Muita paciencia!

Bjks da Matilde

Pirate disse...

Infelizmente o mundo tuga, é um mundo de egocêntricos a começar pela classe política. Essa é umas das causas do nosso subdesenvolvimento, baixo nível de literacia, formação insuficiente, etc...
Saber ouvir é sem dúvida uma virtude.
A cultura global do ego está no auge com derivas políticas baseadas no individualismo exacerbado, com todas as consequências que se conhecem...
Solilóquios, só em privado :-)

trapezista disse...

...o chico espertismo é uma coisa complicada de controlar para muitas pessoas.... :) *

Cadinho RoCo disse...

Pode ser pequenina na estatura, mas no discurso um gigante. Nunca é demais lembrar que quando surge a intolerência, o entendimento desaparece.
Cadinho RoCo
www.balaiodeminas.com.br

 

blogger templates | Make Money Online