6.7.06

Tráfico de Mulheres

Muitas mulheres são raptadas, iludidas, apenas por uma promessa de vida melhor (estudar,trabalhar,viajar). O fim para milhões delas é conhecido: a prostituição ou a escravatura sexual.
Mulheres da Europa do leste são forçadas à prostituição, trabalho escravo, pornografia, actividades criminosas como: mendigar, tráfico/venda de droga, passar dinheiro falso. Mas tudo isto não antes de serem violadas e violentamente agredidas fisicamente. Estas são as armas do jogo psicológico.
Em Portugal tem sido impressionante o aumento do tráfico de mulheres oriundas dos países do Leste Europeu, nomeadamente Ucrânia, Moldávia e América do Sul. No entanto, esta situação está totalmente alastrada por toda a Europa.
Os homens não estão fora deste ciclo mas correm um menor perigo tendo em conta que 80% das vitimas são mulheres e meninas, ainda adolescentes.
O traficante retira à vitima os direitos humanos mais básicos, como: a liberdade de movimento, de escolha, de controlar o seu corpo,mente e futuro.
Durante o mundial da Alemanha, milhares de mulheres estão a ser vítimas de tráfico humano e forçadas por criminosos a ter relações sexuais contra a sua vontade. Não confundam contrabando com tráfico de humanos, a vitima do tráfico humano é escravizada. É a terceira actividade criminosa mais rentável do mundo, depois das drogas ilícitas e do tráfico de armas.
Leiam este testemunho:
  • "Éramos um grupo de 10 que fomos à Jugoslávia: o nosso grupo de bailado. No início eles falaram num espectáculo que tínhamos feito na Ucrânia, mas depois fomos forçadas a fazer striptease. Recusámos, mas foi-nos dito que não seríamos pagas. Um dos clientes do clube gostou da forma como dancei e o dono disse-me que eu tinha de ir com ele. Recusei e todas as outras raparigas concordaram comigo e também se recusaram a trabalhar. Não aparecemos no palco. Então, eles começaram a bater-nos. Mas mesmo assim, não fomos trabalhar. No dia seguinte levaram-nos a um campo. Tiraram-nos do carro... e disseram-nos para fazermos um círculo... uma de nós foi agarrada por um guarda, ele puxou-a do círculo e matou-a à nossa frente. Nós não conseguíamos acreditar no que tinha acontecido... Mas depois disto, nenhuma de nós voltou a resistir...".
  • "Disseram-me que ia ser empregada de mesa num restaurante. O dono mostrou-me onde é que eu ia trabalhar e o que era preciso fazer. À noite ele disse-me para vestir uma mini-saia e uma blusa transparente e para ir para a sala. Na sala, os homens começaram a apalpar-me e a agarrar-me. Eu queixei-me ao dono. Ele disse-me que o meu serviço não era só servir os homens à mesa, mas também na cama. Eu não concordei. Bateram-me com violência e não me deram comida durante dois dias. Fui obrigada a fazê-lo..."
Todos nós podemos colaborar para que esta situação termine ou pelo menos não continue a expandir-se, deixo-vos todo o material necessário para isso.Esta é uma situação verdadeiramente inacreditável, uma realidade muito dura.
Podem visitar o site que vos explica tudo acerca do tráfico humano incluindo maneiras de colaborar,evitar,proteger: www.mtvexit.org e para as mais corajosas podem também assistir à publicidade que está a decorrer em vários canais europeus para a divulgação deste grande problema social: http://comps.mtv.co.uk/comps/streaker/index.jhtml

5 comentários:

a lice disse...

Parabéns pelo post! Nada como alertar para este tipo de situações!:)

Beijinhos.

volpina disse...

lindaaaaaaaaaaaa






PARABENS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!******************************************

Pequenina disse...

Volpina, ainda n é hoje... :P mas tá quase!

marta* disse...

cada vez mais axo essencial alertar para questões que envolvem sobretudo mulheres, como é aquestão do tráfico.

devo confessar que gosto muito de estudos q envolvam o estudo do feminino e do funcionamento feminino. só tive pacientes mulheres num serviço que é só para mulheres...às vezes mesmo à beira encontramos histórias como eu costumos dizer "de bradar aos céus". Histórias femininas. Encanta-me que os espanhois tenham observatórios para "la salud de las mujeres". um dias escrevos sobre estar coisas. n sobre ser feminista mas sobre ser mulher, sexo feminino :)

[q comment longo, sorry]
beijinhos

Anónimo disse...

coitadas destas mulheres.
eu tenho sempre cuidade quando vou para casa a pé (o que é muito raro) se está algum homem a seguir-me ou a olhar-me.
cada vez tenho mais medo de estar sozinha em casa.
ando sempre acompanhada com pessoas mais velhas ou rapazes amigos fortes.
tranco sempre a porta de minha casa três vezes, assim a chave não sai, e ninguém consegue entrar nem sair.
isto anda a assustar-me cada vez mais.

beijinhos*

 

blogger templates | Make Money Online